Blog

As 4 maiores provocações da vida

AS 4 MAIORES PROVOCAÇÕES DA VIDA

A vida é uma provocação. Só e apenas isso. No entanto, não é uma provocação nociva ou destrutiva. É antes uma provocação natural para que te respeites e ames a cada escolha que fazes. Lembra-te que a base da tua vida é idêntica à base do respeito que mostras por ti próprio e à do amor com que te aceitas. Cada situação, emoção, sentimento que ela te faz viver é uma provocação à forma como vais agir. A provocação tem sucesso quando a tua escolha é de te respeitares e amares. Ela tem um sucesso diferente quando escolhes te desrespeitar ou não amar, unicamente porque te vai colocar da próxima vez uma provocação ainda maior e mais difícil para te dar uma nova oportunidade de te respeitares e amares. Dito desta forma, parece difícil aquilo que te espera. Bem pelo contrário. Sem uma boa provocação, normalmente não sais da mesmice e não permites a mudança na tua vida. Por vezes, esqueces que não vieste cá cumprir, mas antes criar. Sem provocação não existe criação.

A provocação pode vir com uma perda, um amor, uma resistência, um desafio, uma dor.

Para que definas o lado para onde vais encaminhar a tua vida – um caminho de respeito por ti ou de desrespeito por quem és – a vida coloca-te quatro grandes provocações a cada vivência. Toma consciência das vezes em que as evitas e toma a decisão de a partir de hoje fazer de forma diferente cada uma das tuas escolhas.

1ª Provocação

ATREVE-TE A ESCOLHER SEM ESPERAR NADA

Quando esperas um resultado, dependes dele. Quando dependes, exiges. Quando exiges, tendes a viver em expectativas. Quando tens expectativas, sais do presente. Quando sais do presente, deixas de viver o que realmente importa.

Assim, a provocação da vida é que faças a escolha que mais te faz sentir que te estás a respeitar neste momento. Se não houver respeito, vai haver sofrimento. Se não houver respeito, vai existir frustração. Se não houver respeito, vais permitir que a tua escolha seja condicionada por aquilo que os outros poderão pensar sobre a tua escolha e, consequentemente, sobre ti.

Escolher sem esperar nada é estar focado apenas na escolha, na sensação de respeito e liberdade que ela te traz no momento em que a fazes. O resto, aquilo que vier de seguida, não importa. Será seguramente uma consequência do respeito que mostraste por ti próprio. E isso não te pode fazer ou trazer qualquer mal.

2ª Provocação

ATREVE-TE A SENTIR

Não fujas daquilo que estás a sentir com a provocação. Se foges, vais arranjar desculpas. Se encontras desculpas, é porque não te achas capaz de lidar com aquilo que sentes.

A verdade é que quando foges do sentir, foges de te conhecer melhor. Aquilo que a vida mais quer é que te conheças, porque quando te conheces tens a possibilidade de ir mais longe, aonde ainda nunca foste.

A verdade é que tens medo de sentir, porque te dói. Lembra-te de que nem tudo o que vem ter contigo é o que tu queres, mas é sempre o que precisas para evoluir na relação que tens contigo. Por isso, aceita sentir sem temer o aperto no peito, porque aquilo que mais precisas neste momento é desvendar esse mesmo aperto no peito para poderes decidir em conformidade com o que sentes.

Lembra-te que tu és o que sentes. Tu és como amas.

3ª Provocação

ATREVE-TE A PARAR DE TE QUEIXAR DO QUE PERMITES

Tudo tem o seu tempo. Quando te queixas, julgas parar o tempo. Na verdade, só te queixas do que permites que se mantenha parado no teu tempo.

A queixa é uma desculpa que arranjas para não mudar. O teu medo do desconhecido é gigante, o teu descrédito em ti e nas tuas capacidades é tão grande que a queixa te protege de avançar. Quando colocas nos outros a razão da tua paragem, entregas-lhes também o poder sobre a tua vida. A queixa permite-te de te defenderes, mas também de te destruíres. Se não tens o poder de decidir sobre a tua vida, não tens vida. Sobrevives apenas. E quando sobrevives, dependes.

A provocação da vida é precisamente fazer-te ousar parar de te queixares e tomares uma atitude diferente diante daquilo que te está a impedir de mudar. Se não fores tu a fazer as tuas escolhas, será a própria vida a impor-te as suas. Nunca te esqueças que aquilo a que resistes, persiste, e aquilo que enfrentas, perde poder sobre ti.

Pergunta-te a cada situação o que farias se não tivesses medo. A resposta que obtiveres é o verdadeiro caminho a seguires.

4ª Provocação

ATREVE-TE A CONFIAR EM TI PARA SERES LIVRE

Só és livre quando confias em ti mesmo. Se não confias, não és genuíno. A genuinidade é própria daqueles que confiam em si mesmos. Se confias, és livre para viver a tua vida. Por isso, mesmo que venhas a sofrer, confia, porque quando confias, vives o lado mais verdadeiro de ti.

Quando não confias, precisas de controlar. Quando controlas, estás a perder-te. Confiar em ti é saber que tens o direito de não saber tudo sobre tudo. É saber que a verdadeira sabedoria está dentro de ti, naquilo que te faz sorrir, naquilo que te liberta.

Quando confias em ti, deixas de precisar da aprovação dos outros. Quando confias em ti, deixas de te comparar com os outros, porque sabes que és quem queres ser. Quando confias em ti, não precisas de mais nada para ser livre.

José Micard Teixeira

Comentários (0)

Publicar um Comentário